SÁVIO SOARES

Cinema e música.

Peter Lawford – O elegante ator inglês que sabia os segredos de Camelot não agüentou a pressão, o vício e teve um final de vida infeliz.


Rose Kennedy costumava dizer que “Deus nunca nos dá mais do que podemos suportar”. Deus deu a Lawford mais do que ele podia suportar. – Leonard Gershe

 

Peter teve uma vida agitada em Hollywood com diversos casos amorosos: Lana Turner, Ava Gardner e casou-se com a poderosa Pat Lawford, irmã de Jack, participou do Rat Pack e fez filmes de sucesso. Por se envolver com o grande amor do Frank Sinatra, este simplesmente deixou de dirigir-lhe a palavra e prometeu quebrar-lhe as pernas.

Mas a situação iria mudar para melhor: Apesar das rejeições e de uma brusca tentativa de conciliação através de Pat – “Como a maioria das mulheres, ela era louca por Frank”, disse o atormentado Peter Lawford, Frank Sinatra queria se aproximar de John Kennedy, então não havia oportunidade melhor: Aceitou as desculpas de Peter e refizeram a amizade.

 John kennedy há muito que se sentia fascinado por Hollywood, principalmente pelas grandes estrelas, não pelo talento de interpretar e sim, por outros atributos. As “expedições de caça” sempre terminavam com “várias presas”, sejam aspirantes ou grandes estrelas, como Gene Tierney e June Allyson. O importante para o priápico Mr. President era variar… A oportunidade de ampliar o terreno aconteceu com a chegada do cunhado famoso, pois John admirava o savoir faire de Peter e sua elegância. 

Os Kennedys – Assim como Jackeline Kennedy, Peter se sentia um pássaro fora do ninho.

Porém, enquanto a carreira de Peter continuava em ascensão, sua vida doméstica se deteriorava. Mais e mais ele e Pat Kennedy tinham dificuldades de convivência – na verdade, não se suportavam, passavam longos períodos afastados. Às vezes Peter ficava envolvido por outras atrizes: teve um breve romance com Kim Novak (essa não dispensava ninguém…) e por algum tempo manteve um romance em Nova York. A regra era: Infidelidade sempre.

 

 Peter Lawford com os poderosos Joe Kennedy (pai) e John F. Kennedy (filho).

Devido a bebedeiras, drogas, infidelidades e desastrosas declarações, Peter Lawford foi totalmente isolado da poderosa família Kennedy, inclusive dos próprios filhos. A única pessoa da família kennedy que não evitou Peter foi Jackie Onassis. Gostava dele, pois sentiu na pele o que era ser um forasteiro numa família tão conservadora e preconceituosa.

 Peter teve envolvimento em capítulos importantes na história da cultura americana do Século 20:

 Foi idéia de Peter chamar Marilyn para cantar Happy Birthday para John Kennedy, como o grande final da noite. Seria a primeira vez que marilyn se apresentaria para uma audiência ao vivo desde 1954, quando se exibira para os soldados americanos na Coréia. (Em plena lua-de-mel com Joe DiMaggio!)

Participou do Rat Pack junto ao líder Frank Sinatra, Dean Martin, Sammy Davis Jr. e Joey Bishop. Uma época de ouro, jamais vista outra vez em Las Vegas.

Sabia de muitos detalhes das decisões que aconteciam na Casa Branca, época em que o poderoso cunhado foi presidente, mas nunca disse nada ele guardou muito bem os segredos dos kennedys.

 

A última esposa de Peter – mas ele já estava envelhecido e destruído pelas drogas e mágoas.

A morte de Peter lawford foi um suicídio lento, amargurado com muitos ex-amigos, Peter se queixava de abandono (Sinatra nunca mais lhe deu um “bom dia” e evitava qualquer contato com o ex-Rat Pack). A vida parecia não ter sentido, procurava ganhar qualquer migalha e gastava tudo em drogas e farras. Estava no fundo do poço.

 Quase no fim da vida, Peter entrou num estado de degradação física e mental impressionantes. Deixara os cabelos e as unhas crescerem tanto que parecia com o maluco Howard Hugues. Sofria de incontinência e não dava o trabalho de trocar os lençóis. Havia comida podre e fezes de gato por todo apartamento. Mesmo após internamento não conseguiu se recuperar do alcoolismo.

Época de glória e poder em Hollywood – Vários jornalistas, apresentações em Las Vegas com os amigos do Rat Pack e ainda trocava figurinhas e viajava no mesmo avião do poderoso cunhado.

Seu estado se agravou quando os médicos descobriram que seu fígado avariado parara de segregar uma enzima necessária para a coagulação do sangue. No dia seguinte, quando recebeu uma pancada no braço e este inchou ao dobro do normal, sabiam que era o fim. Três dias depois o sangue aflorava à superfície do braço inchado como se fosse transpiração. Após um pequeno período de recuperação, o fígado não suportou tanto álcool e outras drogas.

Peter faleceu no dia 24 de dezembro de 1984, aos 61 anos de idade. Foi cremado no Natal, e no dia seguinte um pequeno grupo de parentes e amigos compareceu ao funeral reservado na Capela Mortuária de Westwood Village. Estavam presentes os quatro filhos de Lawford, Caroline Kennedy e Bobby Kennedy. Depois do serviço religioso de trinta minutos, que incluiu a execução da canção “Love”, de John Lennon, as cinzas de Peter foram encerradas numa cripta, a cinqüenta metros do local em que estavam as de Marilyn Monroe.

Anúncios

26/09/2010 - Posted by | Uncategorized |

1 Comentário »

  1. Faltou citar o bissexualismo de Peter.

    Comentário por Alfredo J. Souza | 30/12/2012 | Responder


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: