SÁVIO SOARES

Cinema e música.

Orlando Silva – o “Cantor das Multidões”, podia ter sido o nosso “Maradona na Canção”.


Às vezes, por brincadeira ou para testar a elasticidade e a dicção da emissão vocal, entoava uma modulação de notas passando de um tom para outro para ver até onde sua voz podia ir, para cima e para baixo. Não sabia, pois não possuía qualquer teoria musical, mas alcançava um âmbito superior a duas oitavas, até 18 notas, quando o normal seriam 12 ou 13. Aquela voz já timbrava com a sonoridade de um violino. Um violino bem afinado. Orlando Silva tinha apenas 18 anos. (Jorge Aguiar no ótimo livro “Nada Além – A Vida de Orlando Silva”, Editora Globo)

Quando o craque da Argentina caiu perante as drogas foi uma surpresa para o mundo e uma decepção sem tamanho para os nossos hermanos. Porém, do mesmo modo que os argentinos se decepcionaram, trataram imediatamente de reerguer o ídolo do futebol e torná-lo ainda maior – um mito vivo.

Orlando Silva foi o cantor com a melhor voz do Brasil, segundo muitos críticos. O nosso Sinatra. Tudo bem, tivemos Francisco Alves, que morreu ainda no sucesso aos 52 anos, de acidente automobilístico; tivemos Nelson Gonçalves, que também sucumbiu sob o efeitos da cocaína e se levantou por conta própria – um caso raríssimo. Aqui, só para citar dois exemplos de ícones da nossa canção.

Mas a vergonha (nossa) é que “O Cantor das Multidões” caiu no esquecimento, ninguém escuta mais falar de Orlando Silva. Pior: Desapareceu em vida, simplesmente os próprios fãs que o elegeram o maior cantor, esqueceram ou não perceberam que Orlando Silva precisava de ajuda. Alguns biógrafos escreveram que o cantor foi reconhecido ainda em vida, depois dos sete anos de sucesso. Tudo bem, mesmo assim fãs de sucesso como Lucio Alves e outros não conseguiram torná-lo um ícone inesquecível.

Sua voz (divina) durou apenas 7 anos. Depois o gogó mudou de maneira impressionante, apesar de ainda achá-la bela se compararmos aos cantores atuais. O “Cantor das Multidões” continuou “se achando” o maior cantor (assim como o Maradona se considera “o melhor de todos”), mas não teve forças para superar o vício na morfina que afetou profundamente as cordas vocais.

Orlando Silva entrava no estúdio que frequentou todas as semanas desde os 19 anos de idade, a RCA Victor, estava vestindo um terno impecável, uma elegância que copiou de seu grande amigo e incentivador Francisco Alves, o célebre cantor brasileiro, cognominado “O Rei da Voz”. O cantor estava próximo de completar 27 anos de idade. Antes de gravar canções inesquecíveis, um ritual infeliz iria acontecer. Assim descreveu Jorge Aguiar:

O cantor pediu ao amigo que o mandasse chamar quando tudo estivesse pronto. Estaria numa saleta reservada, concentrando-se nas músicas a interpretar. Ali sozinho, depositou, ao lado no sofá, as folhas de papel que continham as letras que iria cantar, tirou do bolso um estojo metálico; retirou dele uma seringa de injeção de vidro e anéis inoxidáveis, carregou-a com o líquido extraído do vidrinho. retirou o paletó, arregaçou uma das mangas da camisa de palha de seda, circulou o braço com um fio de elástico e espetou a agulha na veia. O líquido escorreu vagarosamente da seringa até esgotar-se. Com cuidado, os apetrechos foram recolhidos, a manga da camisa reajustada e o paletó lançado no braço. O cantor pousou a cabeça no encosto do divã, suspirou com um ar de enfado, cerrou os olhos e procurou repousar.

“Quero dizer-te adeus
de forma singular
cantando a nossa valsa
sem chorar…”

Por que Orlando Silva foi esquecido? Falha (gravíssima) nossa?

Anúncios

20/06/2011 - Posted by | Uncategorized |

13 Comentários »

  1. VERDADE SÁVIO, A MÍDIA BRASILEIRA É UMA PIADA. ESQUECER ORLANDO SILVA SERIA COMO ESQUECER DO REI PELÉ.
    PARABÉNS, SEU BLOG REALMENTE MERECE TODOS OS ELOGIOS, VC TEM RESGATADO GRANDES MOMENTOS DO CINEMA E DA MÚSICA.
    GRANDE ABRAÇO

    Comentário por Felipe Neri da Silva | 22/06/2011 | Responder

    • Amigo Felipe,

      Naquele vídeo do Orlando Silva a gente percebe a reverência emocionada ao ídolo através do fã Lucio Alves, outro grande e esquecido.
      Valeu a força. vamos lembrar sempre dos grandes que estão no limbo – pelo menos aqui nós vamos festejá-los.

      Forte abraço,

      Sávio

      Comentário por dsaviosoares | 22/06/2011 | Responder

  2. Caro Sávio

    Agradeço como brasileiro este seu empenho em resgatar, falar, exibir, mostrar a todos que puderem e quiserem ver os nossos irmãos grandiosos, como no caso, o cantor Orlando Silva. Esta questão do “esquecimento” se deve, no meu modo de perceber a questão, a comportamentos estranhos da nossa (de) formação como sociedade: a começar pela atração voluptuosa pelo que é considerado ‘novo’; acrecente-se a isto a tal linha do pensamento do “já era”, “passou”, ou “não é do meu tempo”; outra característica comportamental que temos é o de se parar de falar na pessoa em questão, isto leva inexoravelmente ao esquecimento, ao apagão das consciências, pois quem não é visto ou falado não será lembrado; para encerrar Sávio você está no caminho certo, por que, no curso de pintura que dou aqui no Rio, na Tijuca, incentivo permanentemente os alunos (de várias faixas etárias) a cultivarem isto. Um bom exemplo do que estou falando é que um aluno trouxe este semana, para o atelier, um aparelho três em um, a fim de que possamos tocar e ouvir Orlando Silva, Francisco Alves, Maysa, Dick Farney, Lucio Alves, Dóris Monteiro, dobrados, bossa-nova… Parabéns Sávio e continue no seu caminho e propósito.

    JG Fajardo
    pintor hiperrealista
    painter hyperrelist

    Comentário por JG Fajardo | 31/01/2012 | Responder

    • Olá JG Fajardo,

      É fundamental mantermos a nossa história, afinal, como disse James Joyce, “O passado não morreu – e ainda não passou. Resgatar os grandes nomes da canção e do cinema me fazem voltar no tempo. Gosto disso. Me faz bem. Não existe música antiga, e sim, música de qualidade ou música ruim.
      O seu incentivo e o belo exemplo do seu aluno devem ser copiados.
      Amigo, pelos grande nomes que você ressaltou, só vão ouvir coisa boa…A arte agradece.

      Obrigado de coração peloo incentivo.

      Abraço,

      Sávio

      Comentário por dsaviosoares | 31/01/2012 | Responder

  3. Orlando Silva não inscreveu seu nome entre os maiores cantores do mundo em sua época,porque a mídia brasileira nao dispunha de influencia internacional.Assim os Estados Unidos promoviam Bing Crosby e a França Maurice Chevalier,que nem de perto tinham a qualidade vocal de Orlando Silva.Sua voz tornou-se símbolo de beleza,afinação,amplitude e de dicção perfeita.Jamais nenhum cantor brasileiro pronunciou os erres tão perfeitos como Orlando Silva.Nossos cantores atuais,melhor diria interpretes,ou mal dizem ou omitem os erres.Quem hoje quer ouvir cantores tem que recorrer aos antigos porque os de hoje são sustentados pela sonoplastia e eletrônica.

    Comentário por robertoabrantespintodeoliveira | 05/02/2012 | Responder

    • Olá Roberto,

      Belo comentário. O Brasil adora sepultar seus grandes ídolos. Orlando Silva é apenas mais uma vítima da falta de cultura de um povo.

      Carlos Gardel, Frank Sinatra, Maurice Chevalier, todos são protegidos, patrimônios culturais em seus países. Defendidos bravamente e sempre lembrados. Em qualquer lugar de fora você encontra algo sobre muitos do passado. Por aqui, parafraseando a bela canção na voz do Orlando: “nada além de uma ilusão…”

      Abraço,

      Sávio

      Comentário por dsaviosoares | 05/02/2012 | Responder

  4. As gravações realizadas por Orlando Silva entre 1935 e 1942 merecem um lugar dentre todas aquelas que se destacam no cancioneiro nacional.Sao verdadeiras obras primas de interpretação e dicção onde seu fôlego nao parece ter fim nunca e algumas vezes simula nao acompanhar a orquestra.Mas tudo terminava rigorosamente no tempo certo.Pois bem, este curto período de sua vida,quando esteve no auge da fama foi o suficiente para inscreve-lo como o maior cantor da história musical brasileira.

    Comentário por robertoabrantespintodeoliveira | 09/02/2012 | Responder

    • Verdade Roberto, concordo plenamente com as suas palavras. Grande Orlando Silva, simplesmente inesquecível!

      Comentário por dsaviosoares | 17/03/2012 | Responder

  5. A falta de educação e de memoria histórica é típica de um país subdesenvolvido como o nosso, daí o esquecimento dos nossos ícones musicais do nosso cancioneiro musical. Que marcaram uma era de ouro e de grandes compositores e excelentes interpretes como o “Cantor das Multidões”- Orlando Garcia da Silva!!!

    Comentário por jorge luiz dias fernandes | 17/03/2012 | Responder

    • Olá Jorge Luiz,

      É vergonhoso um País que teve tantos talentos excepcionais esquecer seus grandes artistas, suas verdadeiras raízes. Falta educação, jamais podemos esquecer as nossas lembranças e a nossa cultura que é tão rica…

      Abraço,

      Sávio

      Comentário por dsaviosoares | 17/03/2012 | Responder

  6. Felizes somos nós que vivemos parte dessa época de ouro da nossa música. Hoje, infelizmente pela nossa idade já um pouco avançada somos taxados ironicaente como “melhor idade” quando o certo seria 3ª idade, já que estamos na faixa etária dos 60 anos para mais. Lembro-me de grandes nomes da nossa música, tanto cantores como compositores e não podemos esquecer de Orlando Silva, Francisco Alves, Carlos Galhardo, Silvio Caldas, Gilberto Alves e tantos outros que foram realmente grandes cantores, sem esquecer também de compositores do talento de Pixinguinha, João de Barro, Benedito Lacerda, para citar apenas estes pois o número é realmente grande. Hoje, a juventude nunca ouviu falar destes homens; as emissoras de rádio não tocam mais estas músicas, pois os programadores e apresentadores não conhecem o talento desses interpretes e nem se interessam já que grande parte desse pessoal que comanda as emissoras de rádio nunca ouviram falar de tais cantores. Lembro-me de grandes programas de rádio como Saudades do Passado que era transmitido pela rádio Diário da Manhã de Florianopolis (SC), do programa Rua da Saudade 1040 do “Titio” Pádua Reis, do programa do Marais Sarmento e de tantos outros. Infelizmente é isso aí, sorte que temos a internet para que possamos ouvir estas belíssimas músicas que fazem com que retornemos ao nosso passado de recordações e assim podermos viver com um pouco mais de felcidiade.

    Comentário por Rubens Janes | 11/08/2012 | Responder

  7. Tive o imenso prazer de conhecer o grande cantor, e até oferecer-lhe carona, nos idos de1972, já no ocaso de sua existência. Trouxe-o, junto com Carlos Galhardo, dos estúdios do Sumaré, da TV Tupi de São Paulo, até ao hotel em que estavam hospedados, no centro nervoso da Boca do Lixo paulistana. Orlando havia sido convidado para participar de um programa chamado “Almoço com as Estrelas”, apresentado pelo casal Lolita e Airton Rodrigues. Naquele dia fiquei pasmo, ao ver o grande astro sendo tratado com relativo desdém: deixado para cantar no encerramento do programa, mal iniciou sua interpretação e os apresentadores deram por findo o programa, em razão do tempo esgotado. Orlando Silva saiu de lá extremamente aborrecido com maneira pela qual havia sido tratado. Ele que, naquela ocasião, ainda vivia sobre os louros conquistados na fase áurea do rádio. Achei muito melancólico aquele episódio.

    Comentário por João Bosco dos Santos | 26/09/2012 | Responder

  8. Lamento em muito a memória curta do povo brasileiro, quem sabe vai acontecer uma grande humilhação em que o povo e os governantes responsáveis por essa situação, não vão esquecer

    Comentário por GEORGE KHAIRALAH HADDAD | 26/10/2012 | Responder


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: