SÁVIO SOARES

Cinema e música.

Marlene Dietrich – A deusa germânica.


Loira, profundos olhos azuis, voz grave e sensual, interpretava as canções como se estivesse falando diretamente ao espectador. Nos anos 30 estrelou os filmes mais eróticos de Hollywood, que ao contrário de hoje, nada mostravam, mas que diziam tudo: Marrocos (1930) e Desejo (1936), com Gary Cooper, Mulher Satânica (1935), A Imperatriz Galante (1934), O Jardim de Alá com Charles Boyer,e até o faroeste Atire a Primeira Pedra (1939) com James Stewart. Embora não fosse considerada tão boa atriz quanto Greta Garbo, Marlene era disputada por grandes diretores como Billy Wilder, para quem filmou A Mundana (1948) e Testemunha de Acusação (1957); e Alfred Hotchock, para o qual estrelou Pavor nos Bastidores (1950).

Admirada por Hitler, a quem abominava, recusou propostas do ditador para voltar à Alemanha, naturalizou-se americana e foi para as linhas de frente entreter os soldados aliados. Filha de um oficial alemão, Maria Magdalene Dietrich nasceu em Berlim, em 27 de dezembro de 1901, e recebeu o sobrenome do padrasto Von Losch, quando sua mãe, viúva, casou-se outra vez. Ao asumir a carreira artística, fundiu as sílabas Marie com Magdalene e passou a asinar Marlene Dietrich. Desde então, começaram a ser batizadas no mundo inteiro crianças com o exótico nome Marlene.

Casada uma única vez, com seu conterrâneo Rudolph Sieber, Marlene teve a filha Maria, em 1925, que lhe deu muitos netos e bisnetos e que lançou um livro dizento que a mãe era fria e autoritária. Até os 72 anos, a estrela manteve suas pernas no seguro do famoso Lloyds of London pelo valor de 1 milhão de dólares, pois eram consideradas as mais perfeitas do mundo do showbusiness (pessoalmente, prefiro as pernas da Cyd Charisse…). O seguro foi interrompido em 1973, quando ela quebrou a perna esquerda ao cair no poço da orquestra do Queen’s Theatre de Londres.

Já então dedicando-se quase que exclusivamente a shows musicais ao vivo, seu último filme foi Apenas um Gigolô (1978). Depois disso, o mito confinou-se em seu apartamento em Paris para “envelhecer com dignidade” e nunca mais apareceu em público. Marlene Dietrich, que surgiu no cinema alemão em O Anjo Azul (1930), sofria do Mal de Alzheimer e faleceu em 6 de maio de 1992, aos 90 anos de idade.

Anúncios

19/12/2011 - Posted by | Uncategorized | ,

5 Comentários »

  1. Amigo Sávio um feliz Natal para o amigo e toda sua família!
    Que deus abençoe a todos.

    Comentário por michel | 24/12/2011 | Responder

    • Olá Michel,

      Um feliz Natal para você e toda a sua família também.

      Forte abraço,

      Sávio

      Comentário por dsaviosoares | 24/12/2011 | Responder

  2. Comentário por michel | 24/12/2011 | Responder

  3. Um Natal Super Brasileiro.

    Comentário por michel | 24/12/2011 | Responder

  4. Comentário por michel | 24/12/2011 | Responder


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: