SÁVIO SOARES

Cinema e música.

Fred Astaire, sinônimo de elegância…

21/03/2012 Posted by | Uncategorized | | 5 Comentários

Fred Astaire – Dançarino genial e uma belíssima voz.

Fui convidado a dizer alguma coisa sobre como bailarinos se sentem a respeito de Fred Astaire. Não é segredo que nós o odiamos. Ele nos cria complexos porque é perfeito demais. Sua perfeição é um despropósito, difícil de aceitar… E lembra-me a observação de Ilie Nastasie a respeito de Bjorn Borg: “Nós estamos jogando tênis. Ele está jogando outra coisa”. Fred Astaire, nós estamos dançando, mas você está fazendo outra coisa. – Mikhail Baryshnikow.

 

Todos que gostam de cinema lembram dos grandes musicais. Lembram também de alguma cena com o inesquecível Fred Astaire. Mas além de genial dançarino, ele também cantava muito. Possuía o dom de dar vida à letra de uma canção, tornando o sentido da letra mais importante do que a maioria dos outros cantores podia ou conseguia naquela época.

 Embora muitos pensem apenas sobre o exímio dançarino, Fred Astaire foi um cantor consumado – basta ouví-lo cantar nos seus filmes musicais. Um número notável de grandes canções populares norte-americanas foi escrito para ele e lançado por ele: Night And Day, Cheek To Cheek, A Fine Romance e They Can’t Take That Away From Me. Os gênios George Gershwin e Irving Berlin consideravam-no o intérprete ideal de suas músicas.

 Mas o que Fred Astaire achava da própria voz? 

Horrorosa! Bem, não tão ruim assim, acho. Eu não sou tiete de minha voz de cantor. Acho que a principal razão para estar satisfeito com ela é que compositores gostam da maneira como lhes canto as músicas. Mas eu estaria falido se houvesse tentado ser apenas cantor.

Não Fred, você não estaria falido…

07/02/2010 Posted by | Uncategorized | , | 11 Comentários

A canção “Puttin’ On The Ritz” é um clássico na voz e no sapateado do genial Fred Astaire.

Irving Berlin foi um dos cinco grandes compositores da canção popular norte-americana, os outros foram: Cole Porter, George Gershwin, Jerome Kern e Richard Rodgers. A gratidão que o mundo da música deve a esses compositores não tem preço. 

“Puttin’ On The Ritz” tem um glamour a toda prova. Imagine na voz e na dança genial do elegante Fred Astaire. 

 No início da década de oitenta a canção fez sucesso novamente quando foi gravada em tom de paródia pelo cantor holandês Taco. Não serve de comparação, são gravações e épocas distintas, apenas atesta o seguinte: quando a música é boa não tem idade, pode voltar à mídia em qualquer tempo e tornar-se, novamente, um grande sucesso.

12/10/2009 Posted by | Uncategorized | | 2 Comentários