SÁVIO SOARES

Cinema e música.

“Fique de olho; um dia o mundo vai falar dele.” – Mozart, ao ouvir Beethoven, então com 17 anos…

24/07/2012 Posted by | Uncategorized | , | Deixe um comentário

Lembrando Heitor Villa-Lobos (1887-1959)…

Trata-se de um gênio em quase todas as formas musicais. Para o piano deixou uma grande quantidade de obras, inconfundíveis nos ritmos, harmonias, timbres, técnicvas e efeitos sonoros. As inspirações foram das mais variadas: temas infantis (A prole do bebê), temas indígenas (Danças dos índios mestiços), folclóricas (Cirandas, Guia prático), em linguagem contemporânea (Rudepoema, dedicado a Arthur Rubinstein) e até temas seresteiros (Impressões seresteiras).

Obras exemplares são Bachianas brasileiras n. 4, que o compositor transcreveu para orquestra, e o Ciclo brasileiro. Para piano e orquestra, escreveu, entre outras obras, o Choros n. 11 e as Bachianas brtasileiras n. 3, além de cinco concertos. Não obstante as severas críticas, Villa-Lobos alcançou grande reconhecimento em nível nacional e internacional. Entre os títulos mais importantes que recebeu, está o de Doutor Honoris Causa pela Universidade de Nova York e o de fundador e primeiro presidente da Academia Brasileira de Música. O maestro foi retratado nos filmes Bachianas Brasileiras: Meu nome é Villa- Lobos (1979), O Mandarim (1995) e  Villa-Lobos – Uma Vida de Paixão (2000), além de aparecer pessoalmente no filme da Disney, “Alô Amigos” (1940), ao lado do próprio Walt Disney.

Em 1922 Villa-Lobos participa da Semana de Arte Moderna, no Teatro Municipal de São Paulo. No ano seguinte embarca para Europa, regressando ao Brasil em 1924. Viaja novamente para a Europa em 1927, financiado pelo milionário carioca Carlos Guinle. Desta segunda viagem retorna em 1930, quando realiza turnê por sessenta e seis cidades. Realiza também nesse ano a ” Cruzada do Canto Orfeônico” no Rio de Janeiro. O impacto internacional dessa obra fez-se sentir especialmente na França e Estados Unidos, como verificou-se pelo editorial que o The New York Times dedicou-lhe no dia seguinte a sua morte.

Faleceu em 17 de novembro de 1959, aos 72 anos de idade. Em 1960, o governo do Brasil criou o Museu Villa-Lobos na cidade do Rio de Janeiro. Infelizmente Villa-Lobos ainda não foi reconhecido o quanto merece dentro de seu próprio país. Tom Jobim, seu amigo e grande fã, sofreu bastante por aqui, obtendo a “unanimidade” quando já tinha partido dessa para melhor. Assim como ocorreu ao maestro Tom Jobim, o Brasil ainda deve muito a Heitor Villa-Lobos.

15/07/2012 Posted by | Uncategorized | | 2 Comentários

Vladimir Horowitz interpreta Chopin…que viagem…

17/05/2012 Posted by | Uncategorized | | Deixe um comentário

João Carlos Martins, um dos maiores intérpretes de Bach.

“Agora, o único problema que não pode acontecer comigo é ficar surdo…” O genial e espirituoso João Carlos Martins.

“Você tem que ter primeiro agradecimento a Deus para a missão que Ele lhe concedeu. Se Deus me deu uma missão para eu fazer música, eu tenho que respeitar isso, e então fiquei com a música.” A lição que João Carlos Martins tirou de tudo que lhe aconteceu.

Ele é um dos mais celebrados pianistas brasileiros e a sua vida foi marcada por uma sucessão de acontecimentos dramáticos. No final dos anos 60, Ele sofreu um acidente num jogo de futebol com amigos no Central Park, em Nova York, que afetou seu braço direito e o afastou dos palcos: uma pedra entrou em seu braço direito atingindo o nervo ulnar – Tinha apenas 29 anos e estava vivendo o ápice da profissão.

O seu retorno, sete anos depois de muito sofrimento e completamente fora da música foi novamente em Nova York, mas dessa vez em grande estilo: No Carnegie Hall, com uma consagração que poucos artistas jáviveram em sua vida.

Raro vídeo com entrevista e show no piano em 1976.

Anos depois, a marca da tragédia retorna e João carlos Martins sofre um assalto na Bulgária, quando recebeu um violento golpe na cabeça. A sequela foi a perda dos movimentos da mão direita.  Um detalhe vergonhoso: A Embaixada do Brasil não deu o mínimo apoio, foi a Embaixada dos Estados Unidos que o ajudou na condução e no tratamento em Miami. Com uma incrível força de vontade e depois de muita luta, João carlos Martins passou a ser um exímio intérprete usando apenas a mão esquerda, que em 2003 foi também inutilizada por um tumor.Novamente João carlos Martins deu provas da sua incrível capacidade de recuperação e de sua paixão pela música, tornando-se regente.

 Neste vídeo João Carlos Martins com seu imenso talento e sensibilidade emociona platéia e o humorista Jô Soares.

04/03/2012 Posted by | Uncategorized | | Deixe um comentário

A jovem chinesa Yuja Wang interpreta magnificamente “The Flight of the Bumble-Bee”.

Composto pelo compositor russo Nicolai Rimsky Korsakov para sua ópera “O Tzar Saltan”, entre 1899 e1900, trata-se de um verdadeiro “tour de force” musical, inicialmente escrito para um solo de violino. Tempos depois o próprio Rimsky Korsakov reescreveu a peça para piano. Contudo, era tecnicamente tão difícil de executar que o famoso pianista Vladimir Von Pachmann (1848/1933), ao ler a partitura, julgou-a “impossível de ser tocada”.

Anos depois, Serguei Prokofiev (1891/1953) aceitou o desafio e abriu a porta para que pouquíssimos realizassem essa proeza. Esta jovem pianista chinesa, de apenas 18 anos, dá um espetáculo. “O Vôo do Besouro” – Simplesmente sensacional.

05/10/2011 Posted by | Uncategorized | | 2 Comentários